• Roberto S Inagaki

Planejamento: Focar, focar... o que fazer mesmo?

Um dos maiores problemas na execução de um planejamento é a falta ou total desconhecimento do que seja foco.

Planejamento: Focar, focar... o que fazer mesmo? é o post do Análise Crítica, blog de Roberto S. Inagaki

Caros leitores do blog Análise Crítica. O primeiro dos 14 pontos de Deming é a “Constância de Propósito”, ou seja, “Foco” (aparece na ISO 9000 como um dos princípios da qualidade), porém ter constância de propósitos está cada vez mais difícil. Esta dificuldade se deve a vários fatores como, objetivos e metas não muito claras, entre outras, mas neste post gostaria de “culpar” os nossos novos hábitos no trabalho que mudaram por conta da tecnologia; a geração que está com maior dificuldade de concentração, dificultando ainda mais a manutenção do “foco”.


Veja o caso de um profissional “modelo 2021”, sistematicamente navega na internet, olhando o Facebook, postando no Twitter, deixando fotos no Instagram, respondendo ou lendo e-mails, tudo ao mesmo tempo, ou nada ao mesmo tempo.


O desafio da alta direção então será: como fazer com que os colaboradores de diversas gerações, principalmente a geração i+ (“isto eu inventei agora, não percam tempo procurando” – significa geração “Internet plus”) tenham foco ou “constância de propósitos” nos objetivos e metas organizacionais e em planos de ação. Como fazer para que estes não se dispersem em outras atividades que não agregam valor e/ou não colaboram com a organização na obtenção dos objetivos e metas?


Quantas vezes você não tem visto pessoas com alguma iniciativa e “pouca” ou “nenhuma” terminativa? Creio que as pessoas com falta de “terminativa” serão mais comuns no futuro se não fizermos nada agora. Fazer com que as gerações de profissionais consigam manter o foco e não fiquem mudando de ideia como se muda de canal (aliás agora são centenas) em frente à televisão ou mudam de tela frente ao Google.


Com certeza banir, exigir, solicitar que não sejam utilizados os recursos de informática da organização para outros fins que não apenas profissionais é besteira. Isto será tão difícil quanto eliminar os celulares dos presídios... Lembrem-se também que hoje a maioria das pessoas tem os smartphones e isto já faz parte do corpo.


Lanço então este desafio para os leitores: “Como manter o foco ou constância de propósitos dos colaboradores de uma organização?


Você é um profissional focado?


1) Quantas metas e objetivos você tem responsabilidade direta por ano?

a- máximo 3

b- máximo 10

c- acima de 100


2) Você programa suas atividades diárias para:

a- 75% do seu tempo

b- 90% do seu tempo

c- 110% do seu tempo


3) Quantas reuniões semanais você participa?

a- menos que 5

b- entre 6 e 20

c- até de reuniões de condomínio do prédio vizinho


4) Em seu computador profissional (no trabalho) você acessa:

a- Somente e-mails profissionais

b- Facebook, Instagram e Twitter

c- Tudo e todos


5) Você acha que consegue fazer quantas coisas bem-feitas ao mesmo tempo?

a- no máximo 1

b- entre 2 e 5

c- tende ao infinito


6) Qual frequência você revê seus objetivos e metas?

a- no mínimo 1 x semana

b- 1 vez por bimestre

c- 1 vez por ano bissexto


7) Seu grau de acertividade nos objetivos e metas é de:

a- 80 à 100%

b- 60 à 79%

c- huuuummmm, do que estávamos falando?


Resumo das respostas: a – 5 pontos, b – 2 pontos, c – 1 ponto

Acima de 30 pontos = Sr./Sra. constância de propósitos

Entre 18 e 29 pontos = funcionários modelo anos 70 e 80

Abaixo de 17 pontos = não conseguiu ler o texto e fazer o teste...


Gostou deste post e da proposta do blog? Que tal o Análise Crítica? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre o Análise Crítica, clique aqui. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – LinkedIn.