top of page
  • Foto do escritorRoberto S Inagaki

Marketing e Vendas: Comprei uma impressora 3D e agora?

O espírito empreendedor surge nos momentos de maiores necessidades, por esta razão é imprescindível ter muita cautela e o planejamento se torna prioridade.



Caros leitores do blog Análise Crítica.


Todas as vezes que se tem uma crise no mercado e consequentemente no emprego, surgem as oportunidades e as “falsas” promessas de empreendedorismo.


A tecnologia tem feito vários bilionários com certeza, porém tem feito muito mais desiludidos na rasteira destas “rápidas ascensões”. Numa análise mais profunda, percebemos que não foram tão rápidas assim. Basta ver as histórias de algumas empresas de tecnologia que são sucesso e poderemos constatar que o sucesso veio depois de muito trabalho e mais trabalho. Isto me lembra a frase de para-choque de caminhão: “todo mundo vê as pingas que eu tomo, mas não viram os tombos que eu levei”.


As pessoas que ficam disponíveis no mercado acabam sempre pensando em abrir seu próprio negócio. Estas pessoas nunca ouviram falar em “plano de negócios”, o que torna o sucesso do mesmo uma grande dúvida. Na esteira das “grandes oportunidades” tivemos: comida congelada, franquias de alto retorno, revendedor de produtos e serviços que se revelaram um esquema de pirâmide, etc.


Atualmente as pessoas são compelidas à negócios de tecnologia. Um dos exemplos seriam as impressoras 3D. A venda de impressoras 3D cresceu bastante durante a pandemia. O que se segue é: o que fazer com este equipamento? Só a impressora basta? Não é necessário um software? Conhecimento para usar o equipamento e seus insumos?


Como a grande maioria dos pequenos negócios nada disto é pensado ou planejado. O resultado disto? Milhares de impressoras colocadas em desuso após algumas tentativas frustradas de fazer com que esta se torne um negócio.


Segue abaixo uma relação de possíveis soluções para estas pessoas que encostaram o equipamento e que ainda estão dispostas a retornar seu investimento:


1- Aumente sua competência através de treinamentos (uso, criação etc.);

2- Entre em contato com quem forneceu a impressora e verifique a possibilidade de venda de serviços de impressão;

3- Entre em contato com quem forneceu o insumo (filamento) para que este lhe dê opções de produtos e serviços;

4- Faça pesquisas sobre os problemas que você tem encontrado e desenvolva soluções;

5- Procure um sócio que supra as suas incompetências.


O importante para você que já gastou seu dinheiro neste equipamento é que dê um tempo para que isto funcione como negócio. Desistir no primeiro problema encontrado não faz de você um empreendedor. Tenho certeza que se você fez o item 4 da minha lista você percebeu que os verdadeiros empreendedores fracassaram muitas vezes antes de terem sucesso. Utilizei o exemplo do investimento em uma impressora 3D para início de um negócio, as críticas aqui servem para todos os tipos de investimentos iniciais sem planejamento.


Portanto sucesso com seu empreendimento...


Quanto ao teste de conhecimento colocado no LinkedIn, a resposta correta é:

Qual é a expectativa de vida no mundo hoje?

A: 50 anos

B: 60 anos

C: 70 anos – esta é a correta


Espero que tenham acertado.


Gostou deste post e da proposta do blog? Que tal o Análise Crítica? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre o Análise Crítica, clique aqui. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – LinkedIn.

Comments


Patrocinadores:

Qualitas Consultoria é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Max Fix é uma das empresas patrocinadoras do Blog Análise Crítica, de Roberto S. Inagaki
Gold Silver é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Hidrosilo é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki
Logo Quimlab Soluções em Química.jpg
3DProcer é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki
bottom of page