• Roberto S Inagaki

Socorro! Achem um culpado...(que não seja eu...)

Culpado, culpados ou potenciais culpados. É importante achar o bode expiatório desde que não sejamos nós mesmo.

Coluna Ponto Crítico - Socorro! Achem um culpado...(que não seja eu...) de Roberto S. Inagaki

Caros leitores do blog Análise Crítica.


Segundo dados de várias organizações especializadas em levantar motivos do porque as empresas fracassam e fecham as portas, separei aqui os motivos que mais aparecem: falta de clientes; alta carga tributária; ausência de capital de giro; problemas pessoais; e brigas entre os sócios.


Vamos analisar rapidamente os motivos e suas respectivas ações estratégicas para cada uma das causas mencionadas anteriormente. Antes da análise, é necessário estabelecer uma premissa que todos que tem uma noção de ISO 9001 e 14001 devem conhecer: “não existe ação eficaz quando não se conhece a causa do problema”, certo?


A primeira das causas é a falta de clientes, porém a culpa é do mercado, portanto um empresário não tem como mudar o mercado, então nenhuma ação pode ser proposta.


A alta carga tributária é a segunda das causas, e isto é culpa do governo, portanto é necessário mudar o governo para que este consequentemente mude a carga tributária. Isto é uma ação hercúlea e por consequência impossível de mudar. A organização não tem como adotar uma ação para esta causa também.


O capital de giro é culpa dos bancos que não querem emprestar para uma empresa que não tem mais “lastro”, então a culpa é do gerente do banco que não quer mais emprestar o dinheiro para a empresa. Esta é mais uma causa sem ação pois a culpa não é do empresário.


Os problemas pessoais são grandes causadores de falências entre as empresas, mas estes são causados sempre pela outra parte pessoal. Ou mesmo que seja nossa, não temos como prevenir doenças, filhos problemáticos, divórcios e outras tantas causas pessoais, a culpa de tudo isto são das doenças, filhos, esposa(o), etc. Estão percebendo que mais uma vez a causa não tem solução, pois o causador não é o empresário.


A última da nossa lista (não que isto seja a última das causas) é a briga com os sócios. Esta é uma causa que sempre será culpa de um sócio e nunca do outro.... Como vocês podem concluir esta também não tem solução pois o outro sócio sempre foi um problema.


Esta análise mostra como as ações corretivas, estratégicas, etc. não são eficazes no médio e longo prazo, pois a culpa é sempre do outro e nunca da alta direção. Quando os gestores das empresas (em todos os níveis) começarem a perceber que a culpa (causa) é deles (lembrando que Deming dizia que 80% dos problemas tem como causa a alta direção) as ações estratégicas escolhidas serão mais eficazes no médio e longo prazo.


Reavaliem as causas com este pensamento: se não mudarmos nosso posicionamento nunca faremos NADA, pois a “culpa” será sempre de outros e nunca da direção. A culpa será sempre: do mercado pela falta de clientes e não da miopia de marketing, do governo pela alta carga tributária e não da falta de planejamento tributário, do gerente do banco pela ausência de capital de giro e não da falta de planejamento financeiro, dos outros pelos problemas pessoais e não do pensamento que o trabalho é tudo, e o sócio pelas brigas e não que a culpa seja SUA.


Pensem nisto, afinal de contas a culpa não é minha se vocês não concordarem.


Teste do culpado:


1- O cliente reclama do produto, a primeira coisa que você pensa é?

a) O produto deve ser do concorrente.

b) O cliente não sabe usar o produto.

c) A assistência técnica precisa entrar em contato com o cliente.


2- O lucro da organização está reduzindo ano após ano, a análise imediata é:

a) Governo sem vergonha aumentou a taxa de juros de novo!?

b) Quem calculou e fez os gráficos de lucro errou de novo?!

c) Nosso planejamento estratégico precisa ser revisado urgentemente.


3- Há 6 meses os produtos estão sendo entregues com atraso para os clientes, a sua análise é:

a) Os nossos fornecedores não merecem nossa confiança.

b) Os nossos clientes pedem sempre em cima da hora e com prazos apertados.

c) A empresa precisa adequar o processo de produção e PCP para a nova realidade.


4- Os produtos e serviços prestados pelos nossos fornecedores são de péssima qualidade, a causa raiz é:

a) Este é o padrão de qualidade aqui, só produto importado tem qualidade.

b) Comprando do mais barato dá nisso.

c) O processo de desenvolvimento de fornecedores precisa ser melhorado.


5- Os colaboradores da organização tem uma produtividade muito baixa, isto é causado:

a) Pela educação pública de má qualidade e falta de educação familiar.

b) A peãozada não quer saber de nada.

c) O processo de treinamento, conscientização e competência precisa ser melhorado.


Resultado


(c) = 5 pontos, (b) = 3 pontos e (a) = 0 ponto


Acima de 20 pontos = grande probabilidade de serem geradas ações eficazes.

Entre 15 e abaixo de 20 pontos = grande possibilidade de serem geradas ações.

Abaixo de 15 = você terá tempo para tudo, pois não haverá ação nenhuma....

Patrocinadores:

Qualitas Consultoria é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Max Fix é uma das empresas patrocinadoras do Blog Análise Crítica, de Roberto S. Inagaki
Gold Silver é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Hidrosilo é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki
Logo Quimlab Soluções em Química.jpg
3DProcer é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki