top of page
  • Foto do escritorRoberto S Inagaki

Profissão: Evidência objetiva sempre, ou melhor, nem sempre.

Trabalhei sempre com a certeza de que TUDO deveria ser baseado em evidências objetivas. Nada como o tempo para provar que TUDO tem exceções.


Caros leitores do blog Análise Crítica.


Trabalhando há mais de 30 anos como projetista, engenheiro, auditor, supervisor de laboratórios e consultor, tive sempre a certeza de que tudo teria que ser baseado em evidências objetivas.


As afirmações, teses e relatos deveriam ser baseados em fatos que pudessem ser comprovados através de diversas formas: fotografias, laudos, ensaios, testes etc.


As afirmações soltas como: o processo melhorou, o produto ficou melhor, a entrega está mais rápida, entre outras me faz sempre repetir a frase de minha autoria: “se eu gostasse de palavras eu teria feito letras, mas como engenheiro eu quero números!”


As pessoas em geral não gostam de ouvir esta frase, porém começam a perceber que sem estas evidências não se pode provar nada.


Assim minha vida profissional foi cada dia mais me dando a certeza de que tudo tinha que ter evidência objetiva, até que um dia...


Minha esposa ajuda várias famílias de baixa renda e com a vinda da pandemia ela começou a ajudar fazendo depósito na conta destas famílias. Como ela não quer que a ajuda seja desviada para outros fins, ela sempre pede que se mostre a evidência do pedido concretizado, por exemplo: foto da compra realizada, nota fiscal entre outros meios.


Não faz muito tempo uma destas pessoas pediu um dinheiro para o ônibus, pois ela queria muito ver um parente que havia falecido e queria ir ao velório. Minha esposa se comoveu com o fato e fez a doação.


Algumas horas depois a grande surpresa! A pessoa mandou uma série de fotos do “falecido”, close, grande angular, panorâmica entre outras.


A sorte que minha esposa percebeu que o conteúdo do “Messenger” não era de coisa boa e pediu para nosso filho deletar sem ver...


A partir deste episódio, as evidências para mim podem ter exceções. Algumas vezes podemos e devemos confiar sem que haja a necessidade de evidência objetiva. Vocês não concordam?


Todos os dias precisamos aprender algo novo para nossa vida profissional além é claro de sempre revisitar nossos conceitos, comportamentos e assim buscar a melhoria contínua.


Quanto ao teste de conhecimento colocado no LinkedIn, a resposta correta é:


Qual a porcentagem da população mundial vive em megacidades (cidades com no mínimo 10 milhões de pessoas)?

Ao redor de 8% - resposta certa

Ao redor de 28%

Ao redor de 48%


Espero que tenham acertado.


Gostou deste post e da proposta do blog? Que tal o Análise Crítica? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre o Análise Crítica, clique aqui. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – LinkedIn.

Comments


Patrocinadores:

Qualitas Consultoria é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Max Fix é uma das empresas patrocinadoras do Blog Análise Crítica, de Roberto S. Inagaki
Gold Silver é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Hidrosilo é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki
Logo Quimlab Soluções em Química.jpg
3DProcer é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki
bottom of page