• Roberto S Inagaki

Planejamento: O que você quer ser quando crescer?

As crianças são questionadas sempre sobre seu futuro, estas perguntas deveriam continuar por toda nossa vida.

Planejamento: O que você quer ser quando crescer? é o post de Roberto S. Inagaki

Caros leitores do blog Análise Crítica.


Respondam de bate pronto, quem tem um currículo atualizado neste exato momento? Gosto sempre de pensar que o currículo profissional é um indicador de “empregabilidade”.


Se no decorrer do tempo você não tem com o que atualizar o seu currículo, comece a ficar preocupado. Nenhuma linha para acrescentar no “campo”: treinamento, curso, língua, melhoria na escolaridade, novo conhecimento? Nada a declarar no “campo” resultados alcançados ou “projetos” realizados? Vixi!


A grande maioria das pessoas somente atualiza ou pior ainda percebe que não tem o currículo depois de estar disponível no mercado (desempregado)!


O currículo profissional inclusive pode inclusive matar dois coelhos com uma cajadada só. Permita-me divagar.


Sempre trabalhei com pessoas de diversas idades profissionais: estagiários, júniores, plenos, seniores e aposentados. A solicitação recorrente de muitos deles era um programa de carreira da empresa. Eu sempre respondia para estas pessoas, você vai deixar que a empresa defina sua carreira? Quando você era criança seus pais respondiam por você o que iria ser quando crescer? Ou você na sua inocência respondia: médico, professor, engenheiro, blogueiro, dentista, “influencer”, jogador de futebol etc.


O mundo tem milhões de CNPJs (ou seja milhões de empresas). A sua carreira não deve ser determinada pela empresa que você está hoje.


O meu desafio para vocês leitores é o seguinte: faça dois currículos, sendo:

1- Currículo presente, o que todo mundo deveria ter. A sua posição atual no mercado com as devidas atualizações; e

2- Currículo futuro, o que você gostaria de ser daqui há 2, 5 ou 10 anos.


Como fazer o currículo futuro? Farei a pergunta que muitos adultos fazem para as crianças, porém adaptada: o que você quer ser quando crescer profissionalmente?


A resposta pode ser diretor de engenharia, gerente de vendas, CEO, CFO etc. Aposto que muitos dos leitores nem sabem responder a esta questão.


Vamos pegar um exemplo de uma pessoa que deseja ser diretor de operações. Faça seu currículo de diretor de operações, descrevendo sua experiência, resultados, conhecimentos, experiências, idiomas etc.


Pesquise as vagas existentes para esta função e vá preenchendo seu currículo futuro. Ao terminar compare com o seu currículo presente. Há grandes diferenças? A diferença será seu trabalho para alcançar seu plano de carreira.


Tudo isto não parece nada fácil e não é... Agora se você acha muito difícil, continue onde está, fazendo o que você faz, depois não reclame.


Você é um profissional focado?

1) Quantas metas e objetivos você tem responsabilidade direta por ano?

a- Máximo 3

b- Máximo 10

c- Acima de 100


2) Você programa suas atividades diárias para:

a- 75% do seu tempo

b- 90% do seu tempo

c- 110% do seu tempo


3) Quantas reuniões semanais você participa?

a- menos que 5

b- entre 6 e 20

c- até de reuniões de condomínio do prédio vizinho


4) Em seu computador profissional (no trabalho) você acessa:

a- Somente e-mails profissionais

b- Facebook, Instagram e Twitter

c- Tudo e todos


5) Você acha que consegue fazer quantas coisas bem-feitas ao mesmo tempo?

a- no máximo 1

b- entre 2 e 5

c- tende ao infinito


6) Qual frequência você revê seus objetivos e metas?

a- no mínimo 1 vez por semana

b- 1 vez por bimestre

c- 1 vez por ano bissexto


7) Seu grau de acertividade nos objetivos e metas é de:

a- 80 à 100%

b- 60 à 79%

c- huuuummmm, do que estavamos falando?


Resumo das respostas: a – 5 pontos, b – 2 pontos, c – 1 ponto

Acima de 30 pontos = Sr./Sra. constância de propósitos

Entre 18 e 29 pontos = funcionários modelo anos 70 e 80

Abaixo de 17 pontos = não conseguiu ler o texto e fazer o teste...


Gostou deste post e da proposta do blog? Que tal o Análise Crítica? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre o Análise Crítica, clique aqui. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – LinkedIn.

Patrocinadores:

Qualitas Consultoria é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Max Fix é uma das empresas patrocinadoras do Blog Análise Crítica, de Roberto S. Inagaki
Gold Silver é um dos patrocinadores do Blog Análise Crítica
Hidrosilo é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki
Logo Quimlab Soluções em Química.jpg
3DProcer é patrocinador do Análise Crítica, blog de negócio de Roberto S. Inagaki