• Roberto S Inagaki

Comportamento: Agora a moda é compliance

Ou seria um nome mais bonito para “seja honesto, por favor!”

Comportamento: Agora a moda é compliance é o post de Roberto S. Inagaki

Caros leitores do blog Análise Crítica. Certamente muitos dos leitores já ouviram falar de compliance ou conformidade. Não é incrível como as palavras em outro idioma ficam mais “bonitas”, sofisticadas e mais complicadas do que parecem? Vários já devem ter assinado inclusive termos de “ética e conduta”, ou algo que o valha.


Acho incrível que tenhamos que assinar termos de compliance? Ou participar de cursos sobre compliance?


Alguns de vocês acham normal:

1- Roubar a propriedade (inclusive intelectual) da empresa ou de outra empresa?

2- Receber ou pagar propina para receber algo não devido?

3- Deletar, adulterar, “fabricar” informações e dados?

4- Mentir sobre dados e informações.


Creio que a resposta unânime deve ter sido não, não é normal. Precisamos de algum curso para isto? Vocês já não tiveram curso deste tipo durante boa parte de sua vida? Na família, na escola, na sua doutrina religiosa etc.


Algumas empresas chegam a estipular o valor máximo de “brinde” que um fornecedor pode dar aos colaboradores. Como se este valor já não estivesse na cabeça de todos os colaboradores. Ou alguém acha que receber um carro de R$ 200.000,00 é normal?


Às vezes quando faço auditorias percebo que os registros foram “preenchidos” recentemente (a tinta nem secou direito), ou as análises do sistema de medição não foram os mais adequados, então me finjo de bobo e deixo que o auditado se ache “inteligente” (caso estes “findings” – achados, não interfiram nos objetivos das normas, caso contrário espremo até eles contarem a verdade). Mentir durante a auditoria não seria contra as regras de compliance das empresas?


Em resumo, meus caros leitores, o nome que eu gosto de dar para este tal de compliance é honestidade. Acho que seria assim que nossos pais, avós e professores dariam para resumir esta tal palavra esquisita.


Gostou deste post e da proposta do blog? Que tal o Análise Crítica? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre o Análise Crítica, clique aqui. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – LinkedIn.